Sapadores florestais recebem três milhões para reforço de equipamento

Sapadores florestaisGoverno pretende duplicar número de equipas actuais para 500 até 2020.

Os sapadores florestais vão ter novos equipamentos até ao final do ano, anunciou mo secretário de Estado das Florestas, em Braga, durante o VI Encontro Nacional de Sapadores Florestais.

Francisco Gomes da Silva reconheceu que falta dinheiro para a formação de mais equipas que, para já, vão contar com três milhões de euros para o reforço de equipamento. “Não só não temos o número de equipas que gostaríamos, como temos algumas equipas que necessitam de ser reequipadas. Dado o empenho muito grande da senhora ministra [da Agricultura, Assunção Cristas] e do Governo, foi possível conseguir este ano desbloquear uma verba necessária para proceder ao reequipamento”, afirmou.

O secretário de Estado acrescentou que o Governo pretende duplicar o número de equipas actuais de 250 para 500 até 2020.

O presidente da Associação de Defesa da Floresta do Minho, José Manuel Lobato, ficou agradado com o anúncio, já que a região trabalha com metade dos sapadores necessários. “Aqui no distrito deve haver umas 15 equipas. O ideal era o dobro. Se calhar é pedir demais, mas o ideal seria isso”, concluiu.Sapadores florestais2

 Sapadores Florestais em Castanheira de Pera

A equipa de Sapadores Florestais na dependência da Assembleia de Compartes, é constituída por 5 elementos qualificados (mediante a frequência de um curso de formação profissional de110h). A sua actividade decorre durante todo o ano.

Por isso se é proprietário florestal ou se precisa de limpar o terreno á volta da sua casa, armazém, ou acções de silvicultura preventiva (roça de matos, limpeza de povoamentos, podas e desramações); pode beneficiar deste serviço e contribuir para reduzir as condições de ocorrência e propagação de incêndios.

Nos meses de Verão (Junho a Setembro) também a seu cargo a Vigilância e Primeira Intervenção a Incêndios Florestais, apoiando ainda no combate e nas subsequentes operações de rescaldo.

A equipa de sapadores florestais em Castanheira de Pera, está na dependência da Assembleia de Compartes, que não tem demonstrado qualquer capacidade ou orientação para a sua manutenção.

Á nossa redacção, tem chegado informação de alguns serviços prestados por este grupo responsável pela limpeza da floresta e, apesar de solicitado o documento comprovativo pelo pagamento dos serviços prestados, este não é emitido, indiciando que os serviços prestados reverterem para “saco azul” ou directamente para o bolso de alguém responsável. Isto é muito grave.

Segundo voz corrente, estes deixaram a algum tempo de ter uma actuação sobre a limpeza da floresta, esses serviços tem sido desenvolvidos no concelho pelas equipas de Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos e Alvaiázere.

Desconhecido é se o Ministério da Agricultura está a contribuir para a sua manutenção ou a atribuir subsídios ou se a sua actividade foi suspensa e, desde quando.

Comments are closed.

Scroll To Top