Ruy Serrano – Poema “CALEM-SE AS ARMAS VIVA O AMOR”

Calem-se as armas deixem o amor brotar

Ponham na ponta da baioneta uma flor

Deixem as tropas passar

Não causem maior dor

 

Calem-se a armas viva a Paz viva o amor

Vamos saborear com fervor

Um beijo um abraço

Nosso regaço.

 

Calem-se as armas enterrem-nas para estrume

Cuidem da terra das vidas da família

Ponham de parte o azedume

Estejam de vigília

 

Calem-se as armas queimem os ramos secos

Deixem crescer as árvores em liberdade

Dêmos-lhes de beber a verdade

Mordam os lábios de beijos

 

Calem-se as armas transformem o nosso Mundo

Façam amor em liberdade com prazer

Saboreiem até enlouquecer

Um amor profundo

 

Ruy Serrano – 27.08.2017

Comments are closed.

Scroll To Top