Quem é José Praia que de pianista de hotel se tornou cantor do povo?

José Praia é um cantor e músico de música portuguesa de classe mundial, especializado em música folclórica tradicional de todas as regiões de Portugal, mas também no fado, nos seus dois estilos mais conhecidos-fado de Lisboa e fado de Coimbra.

Natural de Esposende (distrito de Braga), do seu passado profissional recorda que em meados dos anos 80 atuava como pianista num hotel da Póvoa do Varzim, quando, um dia, um amigo convidou-o a “experimentar o Algarve”, porque “seria mais rentável”. E assim aconteceu trocando a região de “Alto Minho pela Algarvia”

Uma vez em Albufeira, verificou que havia pianistas com mais bagagem do que ele e, por isso, resolveu fundar o grupo que ainda é vivo. Foi chamando os seus filhos (Alberto, Gonçalo e Miguel) com moderação, porque ainda estavam na escola no norte, e assim nasceu o ‘José Praia e Áqua Viva’”.

 

Fundado em 1986 o “‘José Praia e Áqua Viva’” por José praia em Albufeira e pelos seus filhos Alberto, Gonçalo e Miguel praia, este grupo conquistou com a sua alegre e cativante música a região do Algarve e para além das fronteiras. Até agora, são ainda a principal referência da música tradicional em Portugal e, sem qualquer dúvida, o melhor que o Algarve tem para oferecer musicalmente.

As suas performances, seja em restaurantes, hotéis, festivais ou outros locais, são um conceito único e considerada pela imprensa como uma viagem musical do «Alto Minho» no norte de Portugal, para o Algarve no Sul, mas não esquecendo as ilhas dos Açores e Madeira, o público recebe uma apresentação de “o melhor da música tradicional portuguesa “, utilizando todas as «ferramentas» que Portugal tem para oferecer. É difícil sentar-se ainda com os acordes do acordeão, cavaquinho, braguesa, bandolim, concertina, viola, guitarra, baixo, bombo tambor, tamborins, triângulos, Cadaval e reco-RECOS. Suas canções contam mais sobre os costumes e hábitos do povo português e o público é convidado a participar e cantar ao longo das melodias que em breve estão se familiarizando ouvindo-os.

Diz José Praia, não há quem não saiba cantarolar pelo menos uma das canções dos espetáculos de José Praia, como o “Tiro liro liro”, “Menina estás à janela”, “Ó rama”, “Laurindinha”, “Três pombinhas a voar” ou “Ponha aqui o seu pezinho”. Estes são êxitos intemporais da música tradicional portuguesa, mas o grupo fundado pelo artista radicado em Ferreiras, no concelho de Albufeira – “José Praia e Áqua Viva” –, em 1986, também tem originais bem conhecidos, como “Albufeira a Cantar”, “Praia da Baleeira”, “Portugal nos Corações” e “Serras Algarvias”, entre muitos outros temas. Além disso, o músico define-se como “um polivalente onde a versatilidade musical, desde a clássica ao folclore, estão dentro de mim”.

A agenda musical remonta muitas gerações e seu empresário, José praia, compositor e autor Nr. 023309 da «sociedade de autores portugueses» (SPA) é responsável por uma grande parte do seu repertório, que em grande medida também foi lançado.

Um dos eventos atuais e muito apreciados é um show de 2 horas (em 4 partes), onde a música folclórica tradicional é intercalada com o fado. José praia interpreta a guitarra portuguesa de fado de 12 cordas e, juntamente com o seu filho, Gonçalo, traz uma selecção equilibrada e muito requintada dos estilos de fado de Lisboa e de Coimbra.

Numa entrevistada dada por José Praia há cerca de um ano ao JORNAL DO ALGARVE, confessou aos 72 anos, continuar soberano mostrando uma humildade em palco recordou os mais de trinta anos de carreira considerando-se “embaixador” da música tradicional portuguesa considerado um cantor do seu povo que toca e compõe música da alma portuguesa, ficou surpreendido com a primeira reação do público e que a sua vida começou a mudar desde esses dias. “Foi uma verdadeira bomba nas unidades hoteleiras da região. Nessa altura, chegámos a fazer cinco espetáculos entre as 18h00 e as 23h00. E não podia ser mais porque os meus filhos estudavam”, salienta, frisando que “ainda hoje admiro o carinho e o calor que as pessoas nos dispensam, é fabuloso”.

Atualmente, para além das atuações em unidades hoteleiras, José Praia faz uma média anual de 60 concertos em Portugal e 22 no estrangeiro. E já tem 225 obras registadas na Sociedade Portuguesa de Autores que dão corpo a uma discografia de 11 discos. As suas composições vão desde a música tradicional portuguesa até ao fado de Lisboa e Coimbra, passando pela música ligeira e alguns clássicos.

Em termos de espetáculos até ao final do ano e início de 2019, a agenda do artista já está completamente cheia, com espetáculos em vários estabelecimentos hoteleiros da região, mas também em países como a Áustria, Estados Unidos da América, México, Itália e Espanha.

“Estas deslocações ao estrangeiro são solicitadas por operadores turísticos e também por turistas que assistem aos nossos concertos durante as suas férias no Algarve e convidam-nos”, refere.

No palco, apesar de já contar com uma carreira de mais de 30 anos, o cantor continua a mostrar uma humilde grandiosidade, tal como no início da sua vida artística, quando decidiu mudar-se para a região algarvia em busca de uma vida melhor.

Apesar de todas estas viagens que faz regularmente ao estrangeiro, as melhores recordações dos mais de 30 anos de carreira de José Praia são “os concertos da Fatacil de Lagoa, na Festa da Cerveja em Silves, no Centro Cultural António Aleixo em Vila Real de Santo António, assim como os concertos no Largo Engº Duarte Pacheco em Albufeira, entre muitos outros”.

No futuro, o artista gostaria de avançar com “um projeto musical baseado em cada concelho do Algarve, divulgando as suas raízes bem como os hábitos e costumes dos seus habitantes”. Porém, José Praia refere que ainda não teve resposta positiva por parte das entidades oficiais.

 

Se estiver interessado em contactar o melhor grupo de Música Tradicional Portuguesa para animar a sua festa?

Contacte pelo (+351) 919 148 989 ou envie um email para “josepraia.aquaviva@gmail.com”.

Como conhecemos José Praia?

Periodicamente durante o ano, o director deste mensário, por motivos pessoais, visita o Algarve tendo criado não só em Albufeira como em Vila Real de Santo António, Monte Gordo e Castro Marim amizades com boas recordações, das quais destaca em Albufeira o nosso amigo João Leandro, natural de Mosteiro, Pedrógão Grande, conceituado proprietário do Restaurante “Cepa Velha” na Rua Vasco da Gama, lote n1, Areias de São João – Albufeira, ponto de encontro não só para turistas estrangeiros que periodicamente nos visitam como entre outros castanheirenses e pedroguenses acompanhados de suas famílias e amigos em grupo que marcam presença nesta região Algarvia.

Foi no decurso de uma dessas inúmeras deslocações que o director deste jornal acompanhado de alguns dos seus familiares fazem a Albufeira (Algarve), que pelo proprietário do Restaurante “Cepa Velha “ nos foi apresentado José Praia, tornando-se há mais de uma década nosso amigo.

Desses continuados encontros com José Praia revivendo essa velha amizade, num dos habituais jantares românticos que ocorrem todas as quintas-feiras do ano neste ponto de encontro, recordamos que nesta época de veraneio, um significativo número de castanheirenses, acompanhados de suas famílias aproveitaram a primeira semana de Setembro para gozarem uns merecidos dias de férias, participando no passado dia 5 (quinta-feira) na companhia de estrangeiros num dos habituais “jantares românticos” no “Cepa Velha” , com animação ao vivo da responsabilidade de José Praia, do qual João Leandro, proprietário do “Cepa Velha” faz parte, várias vezes José Praia referenciou o nome dos seus amigos presentes com algum destaque para a presidente da Câmara Municipal de Castanheira de Pera, comandante dos bombeiros de Castanheira de Pera e director de “O Ribeira de Pera” demonstrando perante todos a sua velha amizade estima e consideração por estes.

Finalmente, o director deste mensário e seus familiares, não podem deixar de agradecer não só aos proprietários do “Cepa Velha” pela gentileza sempre que os visitamos recebidos pelo proprietário de presunto e faca na mão nos dá as boas vindas, colocando na mesa os complementos á cerveja ou à muito apetitosa “sangria” especialidade da casa.

 

A José Praia, pela simpatia estima e consideração demonstrada nos habituais encontros, para além do nosso agradecimento a esta sua cordialidade, colocamos ao seu dispor todos os nossos serviços de Rádio inclusive página www.saomiguel.pt e jornal O Ribeira de Pera publicitar a sua actividade artística, como muito brevemente proporcionar a transmissão em directo a partir do “Cepa Velha” de uma das suas actuações, bem como colaborar para a sua visita a Castanheira de Pera.

 

Comments are closed.

Scroll To Top