Preço da água vai aumentar em 11 municípios de Leiria e Coimbra – APIN apresentada em Penela

A exploração dos serviços de distribuição de água, saneamento e colheita de lixo pela APIN – Empresa Intermunicipal de Ambiente do Pinhal Interior Norte, que agrega 11 municípios dos distritos de Coimbra e Leiria, vai resultar num aumento do preço destes serviços em cerca de 10% no início de 2020, foi anunciado no passado dia 12 de Dezembro, em conferência de imprensa realizada em Penela, onde está sedeada esta empresa intermunicipal. A “dar a cara” pela nova empresa estiveram os presidentes das Câmaras Municipais de Penacova, que ocupa a presidência do Conselho de Administração, da Lousã e Penela, que integram igualmente aquele órgão de gestão, e de Vila Nova de Poiares, que ocupa a presidência da Assembleia Geral. Presentes também os quadros dirigentes da APIN, Rosa Antunes, Rui Simão e Pedro Botelho, bem como Diogo Faria de Oliveira, que liderou a equipa que procedeu à junção dos 11 municípios.

 

Preço da água vai aumentar em 11 municípios de Leiria e Coimbra

Como valor de referência foram anunciados os valores aproximados de 18,00 euros mensais para um consumo de água de 6m3 e 27,00 euros para 10m3.

O aumento das tarifas prende-se com a correcção do défice tarifário dos 11 concelhos a que estão obrigados pela entidade reguladora, que, no total, atinge os seis milhões de euros anuais, explicou o presidente da Câmara de Penacova, Humberto Oliveira, que lidera o conselho de administração.

“As tarifas vão aumentar em média 10% em todos os concelhos, embora nuns seja maior do que noutros, tudo dependendo do ajustamento que cada um tem de fazer para que o preço passe a ser igual em todos os 11 municípios”, referiu o autarca. No entanto, os municípios vão manter o tarifário social e para famílias numerosas e instituições. Segundo Humberto Oliveira, caso não houvesse esta agregação, os munícipes de cada concelho teriam de pagar mais pelo fornecimento de água e saneamento. Criada em 2018 para gerir os serviços de abastecimento de água, de saneamento e resíduos sólidos, a empresa de capitais públicos anunciou hoje que, já em 2020, pretende acabar com o défice tarifário total de seis milhões de euros anuais nos concelhos abrangidos. “Estamos a necessitar de muito investimento em diversos sistemas, através de candidaturas ao POSEUR, cuja elegibilidade só era possível através da agregação de municípios”, disse Humberto Oliveira. O autarca de Penacova explicou que a agregação numa empresa intermunicipal se deve “ao enquadramento geral do sector e à necessidade de tornar os sistemas mais robustos, melhorar a eficiência e eficácia no sector e atingir a sustentabilidade financeira”. “A agregação vai permitir o controlo da gestão, o aumento da eficiência dos sistemas, da capacidade de gestão e permite uma equidade tarifária, além de melhorar a capacidade de investimento que não tínhamos sem este sistema”, salientou. Nos 30 anos do contrato de concessão, a empresa intermunicipal prevê investir 137 milhões de euros, 44 dos quais já nos próximos anos, sendo 40 milhões na área do saneamento, dois milhões em ferramentas de eficiência hídrica e dois milhões na requalificação das redes de abastecimento já existentes.

A APIN agrega os sistemas municipais de abastecimento público de água, de saneamento, de águas residuais urbanas e de gestão de resíduos urbanos dos municípios de Alvaiázere, Ansião, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Pedrógão Grande (do distrito de Leiria), Góis, Lousã, Pampilhosa da Serra, Penacova, Penela e Vila Nova de Poiares (do distrito de Coimbra). Abrange uma área de quase 2.000 quilómetros quadrados em territórios de baixa densidade, habitados por 84 mil habitantes e com 65 mil alojamentos.

António B. Carreira e Lusa

Comments are closed.

Scroll To Top