… Porque uma sociedade mais justa se constrói também com cultura, “Residências Artísticas” teve o apoio do Município…

 

Pedrógão Grande recebeu de 1 a 5 de abril de 2019 a iniciativa Residência Artística (R-A) que surge na sequência do Programa de Educação Estética e Artística, iniciativa da Direção-Geral da Educação, em articulação interministerial com o Ministério da Cultura com a colaboração ativa do Município de Pedrógão Grande.

Para o Executivo, uma sociedade mais justa e inclusiva não se constrói sem cultura. O trabalho realizado durante esta R-A culminou com a apresentação à comunidade educativa local do resultado final, numa cerimónia que teve lugar no auditório da Casa Municipal da Cultura, na passada sexta-feira, dia 5 de abril, que contou com a presença do presidente e da vice-presidente do Município de Pedrógão Grande, respetivamente, Valdemar Alves e Margarida Guedes, da adjunta do Gabinete do Secretário de Estado da Educação, Antonieta Ferreira e do adjunto da Secretária de Estado da Cultura, Nuno Marques Pereira, entre outros.

Nesta cerimónia, os alunos do 4º ano envolvidos no projeto, apresentaram um espetáculo em que o grupo aprofundou os valores da responsabilidade conjunta, num momento de partilha que se revestiu de enorme significado para todos e que revela respeito pela diversidade, mostrou a alegria do prazer cumprido e o envolvimento com a experiência artística.

Antes do espetáculo, o edil pedroguense e os representantes do governo central fizeram breves intervenções. Para Valdemar Alves, o Município de Pedrógão Grande partilha o papel do Estado, entendendo que deverá também ser o de proporcionar encontros entre artistas e públicos, fazendo da formação um processo de aprendizagem mútuo, já que os processos artísticos são essenciais, não só para os artistas compreenderem o mundo que os rodeia, mas também para as crianças entenderem que a criação contemporânea não é distante da sua realidade. Neste contexto, o autarca realçou o privilégio destes alunos em poderem partilhar esta iniciativa com um artista do Teatro Nacional de S. Carlos.

Já os governantes alinharam pelo mesmo diapasão, considerando que “com parcerias alargadas, conseguimos levar a Cultura a todo o país. Conseguimos levar a Cultura às escolas e logo no primeiro ciclo, fase fundamental de crescimento e construção, em que a descoberta proporcionada pelo som, ritmo, dança, expressão, deixa marcas e memórias que perduram”. Neste contexto, agradeceram o apoio do Município e a dedicação dos professores e diretores do Agrupamento.

Assim, com o objetivo de integrar as práticas artísticas no dia-a-dia dos alunos um coralista do Coro do Teatro Nacional de S. Carlos dinamizou a R-A junto das crianças do primeiro ciclo do ensino básico do Agrupamento de Escolas de Pedrógão Grande. Durante uma semana os alunos descobriram, ao lado do artista residente, sons e significados, instrumentos improváveis, o valor do trabalho de equipa, a harmonia do conjunto, desenvolvendo o conhecimento musical e do mundo, experimentando um trabalho de cumplicidade pessoal e artística.

Integram esta iniciativa o Coro do Teatro Nacional de São Carlos, a Orquestra Sinfónica Portuguesa, a Companhia Nacional de Bailado, o Teatro Nacional D. Maria II, o Teatro Nacional de São João, a Casa da Música e a Orquestra Clássica do Sul.

As R-A realizam-se no 2.º e 3.º períodos escolares, em agrupamentos de escolas dos municípios de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera, Penela, Viana do Castelo, Barcelos, Vila do Conde, Freixo de Estada à Cinta, Moimenta da Beira, Viseu, Idanha-a-Nova, Torres Vedras, Loures, Sintra, Lisboa, Cascais, Almada, Sines, Moura e Loulé.

O projeto teve início no ano letivo 2016-2017 com uma experiência-piloto que decorreu em maio de 2017 na Escola Básica de Caxinas do AE Frei João, em Vila do Conde com o contrabaixista Duncan Fox. Em 2017/18, alargou-se aos municípios de Loulé, Sines, Viseu, Freixo de Espada à Cinta e Barcelos.

Comments are closed.

Scroll To Top