“Museu na aldeia” apresentado em Mosteiro

Projeto “Museu na aldeia” junta 13 museus e 13 aldeias da Rede Cultura 2027 – Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande inseridos no projeto

A aldeia de Mosteiro – Pedrógão Grande, recebeu no passado dia 3 de Dezembro 2020 a apresentação do projecto “Museu na aldeia”, que vai ao encontro das populações mais isoladas de comunidades de 13 aldeias e objetos de 13 museus de concelhos que integram a candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura.

Nelson Fernandes, Vereador da Cultura do Município de Pedrógão Grande foi o anfitrião, agradecendo na ocasião o privilégio que foi receber no concelho este evento.

Entre a igreja e o coreto da aldeia de Mosteiro, a Sociedade Artística e Musical dos Pousos (SAMP) apresentou uma iniciativa que pretende, acima de tudo, “chegar a pessoas que vivam em comunidades mais isoladas e que se encontrem em solidão”, explicou a coordenadora do projeto, Raquel Gomes.

O projeto decorre até ao fim de 2022 e compreende a criação de um museu virtual, com informação que permita a replicação e disseminação do processo noutros pontos do país. Em paralelo, decorrerá uma avaliação do impacto pelo Politécnico de Leiria.

Financiado pela Iniciativa Portugal Inovação Social e Câmara Municipal de Leiria, “Museu na aldeia” será “um estudo de caso a nível nacional”, considerou a vice-presidente da autarquia de Leiria, Anabela Graça, também presente no evento. “Muitas destas pessoas nunca foram a um museu. Para elas o museu é algo que está longe. Queremos, através das artes, criar proximidade”, ajudando também a que “não se sintam tão sozinhas”.

“Museu na aldeia” desenvolve-se do encontro entre uma equipa que inclui artistas, museólogo, sociólogo e psicólogo e a população. A partir de objetos que os participantes têm em casa, desenvolve-se e esclarece-se a ideia de museu e do valor museológico. Numa fase posterior, um objeto de cada museu será apresentado à comunidade, que o reinterpretará num novo formato artístico a mostrar no museu que cedeu a peça original.

Participam no projeto as aldeias de Mosteiro (Pedrógão Grande), Cabeças (Alvaiázere), Ateanha (Ansião), Sapateira (Sobral de Monte Agraço), Freixianda (Ourém), Columbeira (Bombarral), Vargos (Torres Novas), São Bento (Porto de Mós), Arranhó (Arruda dos Vinhos), Alcanadas (Batalha), Famalicão (Nazaré), Folgarosa (Torres Vedras) e Cercal (Cadaval).

Cada uma delas receberá objetos da Casa do Tempo (Castanheira de Pera), do Museu e Centro de Artes (Figueiró dos Vinhos), do Museu do Vidro (Marinha Grande), Museu de Leiria, Museu da Arte Popular Portuguesa (Pombal), Museu Municipal de Alenquer, Museu da Lourinhã, Rede Museológica do Concelho de Peniche, Museu Abílio de Mattos e Silva (Óbidos), Centro de Artes das Caldas da Rainha, Museu Raul da Bernarda (Alcobaça), Museu de Aguarela Roque Gameiro (Alcanena) e Centro de Estudos em Fotografia de Tomar.

 

Comments are closed.

Scroll To Top