Mário Beja Santos: As pessoas acamadas merecem-nos todo o desvelo

Há doenças ou acidentes que obrigam as pessoas a permanecer na cama por semanas ou meses, é um acamamento que exige cuidados especiais para prevenir complicações que podem decorrer da imobilidade do corpo: cuidados de higiene e alimentação, mudanças de posição do acamado, administração dos medicamentos, entre outros.

O quarto do acamado deve ser arejado todos os dias; os lençóis devem ser 100% de algodão para evitar a transpiração do doente (é o tecido mais saudável para estar em contato com a pele); é um espaço que deve estar adaptado de modo a que a cama ocupe o lugar central. O banho da pessoa acamada deve ser diário e deve-se cuidar regularmente da sua higiene pessoal de acordo com o nível de dependência.

Há que ter todo o cuidado para evitar as escaras, formam-se com o peso do corpo em determinadas zonas de pele, devido à compressão das partes moles que ficam entre o osso e uma superfície externa dura: o acamado deve mudar de posição de duas em duas horas ou de quatro em quatro horas. Ao médico compete opinar quando é absolutamente necessário recorrer ao uso de camas articuladas. Deve-se estar atento aos pequenos indícios de uma escara. Os primeiros sinais podem ser apenas um ponto vermelho na pele ou uma pequena bolha, deve evitar-se a todo o custo que ela rebente, pois dará lugar à escara. Recomenda-se o uso de pedras de gelo, envolvidas em gaze, tocando suavemente a bolha, para que o frio não queime a pele. Uma bolha rebentada deve ser imediatamente desinfetada.

A alimentação do acamado deve ser variada e equilibrada: moderação nas gorduras, no sal e no açúcar. Diariamente, a pessoa acamada deve ingerir cerca de 1,5 L de água, salvo indicação médica em contrário. Casos há em que o acamado, devido à especificidade da doença, apenas pode ser alimentado com sonda gástrica. O profissional de saúde será o responsável por lhe dar estas instruções: os alimentos devem ser triturados e as refeições preparadas com uma grande variedade de alimentos; há um conjunto de cuidados a seguir durante a alimentação, como é o caso de aspirar o conteúdo gástrico com o auxílio da seringa, por exemplo. Na administração dos medicamentos, sempre que possível, deve fazer-se um esforço para que o doente fique na posição de sentado (inclinado) no momento da toma dos medicamentos e se mantenha assim por 15 minutos ou meia hora. Este cuidado tem a ver com o facto de alguns medicamentos poderem ficar retidos no esófago e aí ocasionar úlceras graves.

É de toda a conveniência que os cuidadores recorram ao aconselhamento farmacêutico para obter os melhores resultados nos cuidados ao acamado, recorrendo a dispositivos, materiais e produtos que garantam ao acamado a maior segurança, o farmacêutico poderá aconselhá-lo quanto à prevenção das escaras e sobre a administração correta dos medicamentos.

Beja Santos

Comments are closed.

Scroll To Top