Kalidás Barreto – Crónicas da Serra da Lousã

Um problema que não é de hoje. Nem os sustos para as populações. A notícia é do Diário de Notícias de 21 de Setembro de 1970, há quase meio século… Para reflectir:

 

Pelo País

Na Serra da Lousã – O fogo que parecia extinto volta a lavrar com grande intensidade – Há aldeias que podem vir a ser atingidas pelas chamas.

Castanheira de Pêra, 20 – O incêndio na serra da Lousã que às 10 horas de hoje, parecia estar extinto, reacendeu-se cerca das 18 horas e lavra agora com grande violência, continuando a alastrar em direcção a esta vila.

Além das corporações de bombeiros de Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos, Pedrógão Grande, Tomar, Leiria, Proença-a-Nova e Ancião, e de militares das unidades aquarteladas em Leiria, combatem o fogo todos os elementos disponíveis da população do concelho, numa acção conjunta para evitar a sua progressão em direcção a esta vila.

As chamas alterosas envolvem as faldas da serra e a povoação de Sarnada, a que mais perto se encontra do local onde lavra o fogo, pode vir a correr perigo pois, embora esteja protegida pela ribeira de Pêra, há a possibilidade de saltarem faúlhas impelidas pelo vento, iriam atingí-Ia. No entanto os habitantes daquela localidade, com o fogo a escassa centena de metros, ainda não abandonaram os seus lares e lutam encarniçadamente para evitar o alastramento do sinistro.

Se houver progressão das chamas, podem vir a ser atingidas as povoações de Pisões e Pêra, que embora junto da citada ribeira, estão do lado onde o fogo é mais intenso.

Em certas zonas do concelho, para isolar cabinas de alta tensão, foi cortada a luz e, até ao momento, não houve a registar qualquer acidente pessoal.

 

Assistência aos elementos que combatem o fogo

Toda a população do concelho, pode dizer-se, está unida no combate ao fogo que lavra na serra da. Lousã. Uns, de forma directa, estão no local do sinistro a combater as chamas; outros, de forma indirecta mas de extraordinária valia, prestam assistência aos primeiros,

Assim, com uma assiduidade que não conhece fadigas, o presidente e o vice-presidente da edilidade, percorrem as zonas atingidas pelo fogo, acompanhando os que ali se encontram e orientando o movimento de assistência que lhes está a ser prestado enquanto lutam contra o incêndio. Paralelamente senhoras desta vila e de outras localidades estão concentradas no quartel dos Bombeiros de Castanheira de Pêra, confeccionando refeições que depois ou são transportadas em veículos, oficiais e particulares, para as zonas atingidas, ou são servidas no próprio local.

Entretanto – e embora, repetimos, não tenha havido qualquer desastre pessoal a registar –  todo o pessoal clínico e de enfermagem do hospital desta vila se encontra de prevenção para o caso de ser necessária a sua acção.

Comments are closed.

Scroll To Top