Incêndios: Oito projetos culturais apoiados

Oito projetos nos territórios do Pinhal Interior afetados pelos incêndios de 2017 receberam um apoio total de cerca de 230 mil euros, no âmbito do Programa de Desenvolvimento Cultural para aquela região da Direção-Geral das Artes (DGArtes).

A DGArtes anunciou os resultados das candidaturas ao programa, aceitando todas a concurso – um total de oito -, que vão avançar com projetos culturais em nove dos 19 municípios abrangidos pelo Programa de Revitalização do Pinhal Interior (PRPI).

O programa foi anunciado pela DGArtes em maio, contando com uma dotação orçamental de 300.000 euros para apoiar projetos culturais nos 19 municípios abrangidos pelo PRPI.

O montante global solicitado pelas candidaturas foi de cerca de 230 mil euros, ficando cerca 70 mil euros por aplicar.

Na área das artes plásticas, o Círculo de Artes Plásticas de Coimbra propôs o projeto “Arte Ecológica: Árvore na Floresta do Cimento”, em Penela, e a Liga de Iniciativa e Melhoramentos Travanca de Lagos compromete-se a avançar com o festival “Montanhas d’Artes”, em Oliveira do Hospital.

No teatro, há projetos de Tábua, da associação cultural Gambiarra, e de Penela, da Companhia da Chanca.

A Companhia de Teatro Experimental de Poiares propõe um projeto de cruzamento de teatro e circo “na aldeia”, entre os concelhos de Vila Nova de Poiares e Lousã, e a empresa de arquitetura e urbanismo Marques de Aguiar, do Porto, avança com um “Festival de Artes em Terras de Fogo”, que se divide por três concelhos: Proença-a-Nova, Oleiros e Sertã.

A associação juvenil CUME (Cultura Urgente para Mudança Enérgica), de Arganil, na área do cruzamento disciplinar, e o Coral de SAnt’Ana, de Oliveira do Hospital, na área da música, são as outras contempladas com o apoio.

Segundo a DGArtes, o programa de apoio visa “estimular a mobilização das comunidades locais para a valorização e desenvolvimento cultural do Pinhal Interior”.

De acordo com a nota lançada em maio, aquando do anúncio do programa, a iniciativa “constitui uma plataforma de convergência de objetivos e estratégias, através da qual a DGArtes colabora com os municípios para criar condições de desenvolvimento que permitam ultrapassar as assimetrias territoriais e os desequilíbrios sociais e culturais, estimulando a criação de projetos e intercâmbios artísticos pelo território nacional”.

O programa surge na sequência da resolução do Conselho de Ministros que determinou a adoção de medidas de caráter extraordinário para fazer face aos danos provocados pelos incêndios que afetaram, entre 17 e 24 de junho de 2017, sobretudo os municípios de Pedrógão Grande, Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos, Góis, Penela, Pampilhosa da Serra e Sertã.

De acordo com a nota, foram ainda convidados a apresentar propostas ao Programa de Apoio em Parceria os municípios de Alvaiázere, Ansião, Arganil, Lousã, Miranda do Corvo, Oliveira do Hospital, Tábua, Vila Nova de Poiares, Oleiros, Proença-a-Nova, Mação e Vila de Rei.

por Notícias de Coimbra

 

Comments are closed.

Scroll To Top