Figueiró dos Vinhos: João Paulo Catarino visitou Posto Aquícola de Campelo

Campelo recebeu o Secretário de Estado  da Conservação da Natureza  e do Ordenamento do Território, João Paulo Catarino, numa visita de trabalho às obras em curso no Posto Aquícola de Campelo, no passado dia 23 de Junho.

A visita incluiu a apresentação do projeto “CRER – Adaptação do Posto Aquícola de Campelo para Criação Experimental de Trutas Assilvestradas”, aprovado pelo MAR 2020, no âmbito do ALJIA – Plano de Desenvolvimento Integrado da Ribeira de Alge, pelo Professor Carlos Alexandre da Universidade de Évora , e Professora Alexandra Moreira da Universidade de Aveiro.

O projeto visa, no seu todo, a intervenção física no espaço com obras de adaptação e restruturação tornando, por um lado, o seu funcionamento mais sustentável e, por outro lado, permitindo a constituição de um Centro de Reabilitação de Ecossistemas Ribeirinhos, o qual desenvolverá um projeto-piloto, pioneiro à escala nacional e internacional, direcionado para a criação experimental em viveiro de trutas assilvestradas, para posterior repovoamento de cursos de água.

Além deste importante projeto de gestão e conservação das espécies com elevado impacto ambiental a nível nacional, contempla, ainda, a promoção da sensibilização ambiental, através da divulgação dos resultados e da transferência dos conhecimentos obtidos no projeto. Neste sentido, será criado, também, um espaço de visitação para estudantes, turistas e comunidade científica, o que tornará este Posto Aquícola, um dos poucos existentes em Portugal, num dos futuros pontos turísticos do concelho de grande relevância a nível nacional e internacional.

Após a apresentação do “CRER – Adaptação do Posto Aquícola de Campelo para Criação Experimental de Trutas Assilvestradas”, o Secretário de Estado  da Conservação da Natureza  e do Ordenamento do Território enalteceu esta iniciativa piloto por considerar que “é um equipamento que pode, claramente, ser um polo de desenvolvimento para esta região, com estas parcerias, com o projeto, com esta sensibilização ambiental, com esta valorização, porque estes territórios precisam destas âncoras para se desenvolver economicamente, mas fazê-lo de uma forma sustentável e a melhor forma de o fazer é com um ativo diferenciador, ou seja o que tem de, efetivamente, ser feito é aquilo que vocês estão aqui a fazer, que é usar aquilo que é um ativo diferenciador, que é a truta que é a Ribeira de Alge e no fundo, a partir daqui, criar um polo dinamizador, um polo turístico que possa, obviamente, além da valorização ambiental, trazer pessoas a este território, e eu julgo que o caminho é, efetivamente, este.”

João Paulo Catarino caracterizou, ainda, o projeto apresentado como “um trabalho que nos deve orgulhar, porque no fundo é estudar o património genético, é criar um ativo diferenciador nesta área, e é restaurar um ecossistema para que ele possa ser cada vez mais sustentável do ponto vista ambiental, mas, por essa via, também depois o podemos valorizar do ponto de vista económico e do ponto vista turístico. E estes restauros destes ecossistemas serão a política ambiental dos próximos tempos… porque ao ritmo que estamos a perder biodiversidade no contexto do planeta é assustador e isso convoca-nos para esta necessidade de restaurar e valorizar a biodiversidade que temos nestes contextos.(…) É aquilo que estão aqui a fazer com este projeto, com o restauro deste ecossistema e desta ribeira, acho que tudo isto dará o produto que acima de tudo valorize o concelho Figueiró dos Vinhos, mas acima de tudo valorize as pessoas que vivem nestes territórios e possa ser encarado numa perspetiva de um futuro com esperança, que traga retorno económico, também por esta via, em especial às pessoas que vivem nestes territórios e, se possível, a outros novos povoadores. Por isso, Sr. Presidente dar-lhe, mais uma vez, os parabéns pelo ótimo trabalho em todas as dimensões, mas em especial nesta preocupação pela sustentabilidade ambiental, pela valorização deste ativo e a forma como o tem feito e, por isso, é com particular satisfação e muito orgulho que me associo a este projeto, tão interessante a todos os níveis.”

A reabilitação deste posto aquícola, que se encontrava inativo há vários anos, tem um investimento total aprovado de 1.081.747,73 €, com um apoio financeiro de 811.310,81 € (75 %) através do Programa Operacional MAR2020, e prevê-se que esteja em pleno funcionamento no verão de 2022.

Comments are closed.

Scroll To Top