Clarinda Henriques: Poema “Santo António”

Santo António

Santo António de Lisboa
Era um grande pregador;
Mas é por ser Santo António
Que as moças lhe têm amor

 

No baile em que dançam todos
Alguém fica sem dançar.
Melhor é não ir ao baile
Do que estar lá sem lá estar.

 

A caixa que não tem tampa
Fica sempre destapada;
Dá-me um sorriso dos teus
Porque não quero mais nada.

 

De manjerico na mão
Uma quadra a namorar;
E com arquinho e balão
Vamos todos a bailar

 

 

Comments are closed.

Scroll To Top