“Celebrar Abril é pois, um ato de Liberdade!…”

14_25Abril

Pela 42.ª vez celebrou-se o aniversário do 25 de Abril de 1974 e “como já é tradição, louvamos aqueles que libertaram este país duma governação retrograda onde os valores à volta da Liberdade individual e coletiva de um povo não eram soberanamente respeitados” conforme referiu José Manuel Simões, Presidente da Assembleia Municipal de Castanheira de Pera no seu discurso comemorativo.
Em redor do tema Liberdade, José Manuel Simões aproveitou para lembrar todos os que em pleno seculo XXI sofrem “com fome e não têm que comer; com frio e sem ter casa; com doença e sem se poder tratar; com o abandono social e familiar, enfim, com tudo aquilo que não se pretendia numa sociedade inclusiva e solidária” apontando que “mais livres seremos quando TODOS contribuirmos para TODOS. Assim estamos a criar a IGUALDADE. O direito comum é simplesmente a proteção de todos e a proteção de cada um, vinda de todos, é a FRATERNIDADE.”
Os “maus tratos” de que os valores de Abril têm sido alvo não foram descurados no discurso do Presidente da Camara Municipal de Castanheira de Pera, Fernando Lopes apontando o dedo àqueles “que aproveitam a política e procuram a proximidade do poder com o propósito de obter vantagens que se traduzem em riqueza a qualquer custo” referindo-se a esses como os causadores de uma atual “desconfiança generalizada na classe política….”.
A par da comemoração do 42.º aniversário da Revolução de Abril, Fernando Lopes assinalou ainda neste dia o 40.º aniversário da Constituição Portuguesa sublinhando aqui a importância de Kalidás Barreto, “um dos signatários dessa mesma constituição”, considerando-o um ícone da Liberdade, da Democracia e do Sindicalismo e por conseguinte um ícone de Abril.
A crise económica que se vive em Portugal, na Europa e no mundo foi outro assunto que mereceu destaque neste dia com Fernando Lopes a considerá-la “um dos mais delicados momentos depois do 25 de Abril de 74”.
O apelo aos jovens já levado a cabo noutras ocasiões foi mais uma vez vincado ao lançar-lhes um repto: “que se empenhem e se envolvam mais nas questões de natureza política, que participem mais nas comemorações destas datas importantes, pois irão ser eles os políticos do futuro.”
Foi na Casa do Tempo que tiveram lugar os discursos comemorativos, local onde se procedeu posteriormente à inauguração da Exposição “Murais Artísticos de Abril” coleção de Conceição Neuparth.
Antes, pelas 10.00h teve lugar tal como acontece anualmente frente ao edificio da autarquia o hastear da bandeira com a presença do corpo de Bombeiros Voluntários de Castanheira de Pera, Guarda Nacional Republicana e demais entidades locais.

Comments are closed.

Scroll To Top