Category Archives: Edição 206

AVP – Ressentir o que o Povo ressente

No seguimento de gerações, terá o conjunto do Povo português recebido uma herança, quer seja no domínio cultural, literário, artístico, matemático ou filosófico, um conjunto assimilativo que privilegia normas sociológicas, um modelo de ciências cognitivas do comportamento absoluto e de ...

Read More »

António Varanda: Interior

António Varanda: Interior

Nós, os portugueses, enfrentamos hoje uma das maiores crises de que há memória. Ainda reféns da crise financeira de 2011 e ainda não decorrida uma década, eis que a COVID-19 veio acentuar as fragilidades de Portugal, nomeadamente ao nível dos ...

Read More »

Luís Cunha: Momento com a História.

Luís Cunha: Momento com a História.

No dia 13 de junho de 1589, o Corsário inglês Francis Drake, falha a sua tentativa de assalto a Lisboa. Apesar de associarmos — muito por culpa de Hollywood — os piratas às Caraíbas e às Américas, Portugal também teve ...

Read More »

Politicamente diferente…

Politicamente diferente…

NÃO ESTOU ESCLARECIDO. Li com atenção o ESCLARECIMENTO do PSD Castanheira de Pera (Redigido em português, de forma clara) E confesso que ao analisar o mesmo, fico com a impressão que quem o redigiu não terá certamente mencionaodo a Carta ...

Read More »

Silva da Mouraria: Quem Foi? – Dr. José Fernandes de Carvalho

Silva da Mouraria: Quem Foi? – Dr. José Fernandes de Carvalho

Nascido em Castanheira de Pera, em 6 de Abril de 1897, aqui faleceu a 7 de Novembro de 1984. Licenciado em Medicina pela Universidade de Coimbra, em 14/07/1920, doutorou-se a 21 de Maio de 1921, cedo se implantou no concelho ...

Read More »

Silva da Mouraria: Citações (de várias personagens)

O pão ganho mediante falsidade é agradável ao homem, mas depois a sua boca se encherá de cascalho. Melhor é morar num canto do terraço do que em casa com uma mulher contenciosa. Não fales aos ouvidos de alguém estúpido, ...

Read More »

Ruy Serrano: Poema “Águas cristalinas e frescas”

Ruy Serrano: Poema “Águas cristalinas e frescas”

Homenagem às centenas de ribeiros de Portugal que dão de beber e banham residentes e veraneantes. Águas cristalinas e frescas Que matam a sede às serras Aos amimais e às pessoas, E vão banhar nas praias, Os veraneantes de férias. ...

Read More »

Clarinda Henriques: Poema “Os partos de antigamente”

Clarinda Henriques: Poema “Os partos de antigamente”

Nos tempos de antigamente Uma curiosa mulher existia Bem vista por toda a gente Pelos partos que ela fazia   Era uma mulher de virtude Chamava-lhe a Parteira Nunca estudou amiúde Era apenas biscateira   Fervia a água na lareira ...

Read More »

Alcides Martins: Poema “O Combate”

Alcides Martins: Poema “O Combate”

O Combate Primavera fabricada de desgostos, Até a natureza floresce triste. E tudo o mais que na Terra existe, São animais e humanos mal dispostos.   Os exércitos humanos estão a postos, Lutando por aquilo que subsiste. Mas o vírus ...

Read More »

Miguel Portela*: A intervenção do pintor-dourador Mateus Nunes de Oliveira na Colegiada de S. Cristóvão de Coimbra

Miguel Portela*: A intervenção do pintor-dourador Mateus Nunes de Oliveira na Colegiada de S. Cristóvão de Coimbra

*Investigador Breve introdução A igreja de S. Cristóvão de Coimbra, demolida em 1860 deu lugar ao teatro D. Luís, mais tarde designado de teatro Sousa Bastos, “Terá sido mandada construir por D. João Peculiar, durante o governo do conde D. ...

Read More »
Scroll To Top