Castanheira de Pera: SCMCP – Muito trabalho mas bons resultados

 

As duas estruturas residenciais da Santa Casa de Misericórdia de Castanheira de Pera continuam, até ao momento, sem contar com qualquer caso de COVID-19.

Mais do que sorte, e apesar de estarem inseridos numa localidade onde a presença do vírus tem sido pouco expressiva, a verdade é que a instituição desde o início da pandemia se preocupou em cumprir todas as orientações das autoridades sanitárias, até porque vários utentes têm de receber tratamentos no exterior, estando assim mais expostos a contrairem a doença, e a serem veículos de transmissão para o interior.

Foi por isso, desde o primeiro momento, preocupação da Santa Casa da Misericórdia de Castanheira de Pera, que todos os cuidados preventivos, a salvaguarda da promoção da saúde e do combate à doença, se constituíssem como estratégias de ação e de prevenção.

Trabalhando com o público mais vulnerável e mais facilmente atingido e com consequências mais gravosas – a população idosa – todos os cuidados e a utilização de material de proteção individual, constituiu-se como um instrumento de trabalho diário e permanente.

Por outro lado, foi considerado que um planeamento atempado seria fundamental na redução do impacto da pandemia, não só para a própria Instituição, como para toda a comunidade. Assim, e ainda sem indicações da própria Direção Geral de Saúde, foram impostas diversas regras, nomeadamente, o cancelamento das visitas nas ERPI’s e a suspensão da Resposta Social de Centro de Dia. Foi igualmente elaborado o Plano de Contingência – COVID 19, visando minimizar e prevenir situações de contágio, face ao progressivo aumento do número de casos infetados pelo vírus, no nosso país.

Muitos investimentos foram realizados, verificou-se um agravamento das despesas, com a aquisição dos equipamentos e com a criação de condições para agir em caso de necessidade de isolamento, mas sempre no pressuposto da garantia da saúde de todos os envolvidos pela Instituição.

A instituição reconhece que têm sido meses de apreensão, de receio e de muitos cuidados, mas que têm tido como contrapartida muita dedicação, esforço e empenho de todos quantos trabalham e se dedicam às atividades da Santa Casa.

Em missiva entregue aos associados, durante a última Assembleia-Geral realizada no passado dia 26 de Junho, a Mesa Administrativa da Santa Casa da Misericórdia, liderada pelo Provedor Vítor Silva, deixa vários agradecimentos: “Com o maior respeito e consideração, porque é por eles e para eles que trabalhamos, um muito obrigado aos nossos Idosos, pela compreensão face à privação das saídas ao exterior, das visitas dos seus familiares, ou seja, obrigado pela aceitação de novas rotinas diárias. Aos colaboradores uma palavra de apreço pelo cumprimento das regras impostas, pelos bons cuidados aos idosos e pelo esforço no combate a esta doença, nomeadamente com a aceitação do alargamento dos horários de trabalho, com a criação das equipas espelho. Aos familiares o nosso agradecimento pela compreensão para com todas as restrições implementadas e pela impossibilidade do contacto direto com os seus idosos/familiares. Também, um agradecimento a todas as entidades, empresas e organismos que connosco têm colaborado, quer no apoio logístico, de rastreio, quer no apoio direto no combate à doença, quer na doação de equipamentos de proteção individual.”

 

Resumo e cronologia de algumas das medidas tomadas:

– 13 de março de 2020: aprovado o Plano de Contingência – COVID-19, da Santa Casa da Misericórdia de Castanheira de Pera;  Implementação de todos os cuidados e regras de higiene: lavagem e desinfeção constante das mãos, distribuição de equipamento de proteção individual a todos os colaboradores, desinfeção contínua de todos os espaços físicos, equipamentos, locais, objetos, uso permanente de máscara e viseira, proibidas as saídas de utentes, proibidas as saudações pessoais e físicas, avaliação da temperatura corporal de todos os utentes e colaboradores, 3 vezes por dia, estabelecimento de salas/locais de isolamento, etc;

– 16 de março de 2020: atendendo ao agravamento da doença por coronavírus e às novas restrições implementadas na tentativa de minimizar o impacto negativo da doença e a segurança de todos, foram suspensas todas as visitas aos utentes, por tempo indeterminado; proibição de aglomerados e estabelecimento de restrições ao uso da Casa Mortuária; encerramento da Clinica de Fisioterapia e Reabilitação, com suspensão de consultas e tratamentos, por tempo indeterminado;

– 17 de março de 2020: encerramento da Resposta Social de Centro de Dia;

– 18 de março de 2020: para que os idosos e seus familiares pudessem continuar a estabelecer contacto, quer por áudio, quer visual, foi divulgada a possibilidade de realização de vídeo chamadas no Messenger do facebook; na sequência das medidas adotadas pelo Governo, em termos de prevenção, face à constante progressão do número de casos de infeção por COVID-19, foi solicitado que contacto com os Serviços Administrativos e Serviço Social da Instituição fosse feito, preferencialmente, por via digital ou telefónica:

– 23 de março de 2020: estabelecimento de equipas espelho, de colaboradores, com horários de 12/h, 7 dias por semana e posterior semana de pausa;

– 7 de abril de 2020: proibição de circulação de colaboradores entre as 2 ERPI’s, sendo proibida a entrada, de trabalhadores, nos edifícios, fora dos horários normais de trabalho; feitos testes à COVID-19 a todos os utentes e colaboradores;

– 8 de abril de 2020: dando cumprimento às sucessivas recomendações da Direção Geral de Saúde, foi alterado e aprovado o Plano de Contingência;

– 5 de maio de 2020: dois meses após a suspensão de visitas devido à COVID-19, e acreditando que as saudades são muitas e a possibilidade de um olhar próximo seria um desejo imenso para todos e embora não tenha sido possível permitir o contacto físico direto, promovemos as visitas, com marcação prévia, no máximo de duas pessoas e durante o período máximo de 10 minutos, ainda que separados por um vidro. Respeitando as normas da D.G.S. e na salvaguarda da promoção da saúde e do combate à doença, não sendo permitida a presença de mais que uma família em simultâneo;

– 8 de junho de 2020: cumprimento as orientações da Direção Geral de Saúde, reabriu a Clínica de Fisioterapia e Reabilitação.

António B. Carreira

N.R.: Os nossos agradecimentos à Mesa Administrativa da SCMCP na pessoa do deu Provedor, Vítor Silva, bem como à directora Clara Simões, pela disponibilização de dados e imagens para a elaboração deste peça.

 

Comments are closed.

Scroll To Top