Castanheira de Pera: Pára-quedista politico faz inquérito ao comercio local para demonstrar a insatisfação pelo atraso da abertura da  “Praia das Rocas”

Somos primos!!!

Dada a forma de administração antes vivida, temos vindo a assistir através de “golpes palacianos” e notado alguns “pára-quedistas políticos” a tentarem atingir o domínio da empresa municipal “Prazilândia, Turismo E Ambiente – E.M”. Com a entrada em 2018 de um conceituado “castanheirense”, licenciado nas áreas de fiscalidade e administração empresarial, para o Conselho de Administração, este veio colocar fim não só uma anarquia administrativa como empregadora, comprovada não só pelos resultados financeiros como pela disciplina organizativa.

Novidade quando conhecido um desses “pára-quedistas políticos”, com o objectivo de denegrir o bom nome da actual administração desta E.M., usurpando competências municipais, percorreu no passado sábado dia 27, o comércio local procurando obter deste a sua insatisfação pela não abertura da “Praia das Rocas”.

Mais surpreendente é quando este “pára-quedista”, também membro da assembleia municipal de Castanheira de Pera, em forma de ataque à presidente do executivo, tentou na Assembleia Municipal ocorrida no passado dia 29, demonstrar essa pseudo insatisfação pela ainda não abertura da “Praia das Rocas”, tendo nesta A.M. sido pela oposição advertido, que sendo o acto uma das competências do município, o seu objectivo poder vir a ser considerado de “usurpação de poderes”, tendo a presidente do executivo prestado alguns esclarecimentos, concluindo-se por desvalorizar os objectivos deste “pára-quedista-político”.

Relativamente ao atraso verificado pela abertura da “Praia das Rocas”, apesar da incompreensão de alguns que vão alimentando os autores destes “golpes palacianos”, esquecem que a montante da Ribeira de Pera, com comparticipação do governo, ter sido intervencionada, no final das obras merecido a visita do Sr. Ministro do Ambiente, esquecem também decorrido pouco tempo as enchentes da ribeira, para além de terem destruído toda a sua infra-estrutura em especial a acabada de construir, atingiu gravemente todo o empreendimento da “Praia das Rocas” cuja recuperação, devido ao pedido de nova compartição ao governo, cuja aprovação se aguarda, com alguma precaução a ser recuperado, e a aguardar autorização da Direcção Regional de Saúde para entrada em funcionamento, devido às restrições e limitação de utentes impostas irá tornar inviável a sua rentabilidade.

Também o COVID-19, não tendo até hoje atingido significativamente o concelho, a presidente da assembleia geral da “Prazilandia Turismo e Ambiente EM” , Alda Correia, conforme informação deixada no WEBSITE do município relativa a este empreendimento; “Estamos a trabalhar para criar condições de abertura”, indicia a sua preocupação sobre esta “Pandemia” prevendo das dificuldades impostas tenha a compreensão não só do comércio como dos “castanheirenses” em geral.

 

 

Comments are closed.

Scroll To Top