Casa de Pedrógão Grande

Assembleia-Geral da Casa de Pedrógão Grande

A Casa de Pedrógão Grande realizou a sua assembleia ordinária no dia 24 de Março na sua sede em Lisboa. A assembleia, sob a condução do Presidente da Assembleia-Geral Dr. José Dinis Marques, decorreu de acordo com os trâmites formais.

Foi dada a palavra à presidente da Direcção, professora doutora Teresa Denis Silva, que apresentou uma súmula do trabalho realizado durante o ano de 2018, referindo que os propósitos orientadores são os mesmos de sempre: promover o concelho, divulgar a sua cultura, etnografia, território, paisagem, bem como a promoção do bem-estar dos pedroguenses em geral, e em particular dos residentes em Pedrógão Grande, fomentando relações com a comunidade e associações locais.

Dos eventos realizados dá particular enfoque ao almoço convívio “Celebrar Ser Pedroguense” que para além do repasto tem o objetivo de promover o convívio entre pedroguenses e amigos de Pedrógão, reavivando o significado e sentido de “ser pedroguense” que nas suas palavras é sempre necessário, mas imperativo nos tempos que correm. Na sua sede festejaram o Santo António com o arraial CPG nas festas dos santos populares, festejaram o S. Martinho com o magusto CPG e ainda o Natal com uma festa e mercadinho CPG. Referiu ainda que no âmbito dos projectos do BPI séniores apresentou uma candidatura com o projecto “Abraço Intergeracional” que visava promover a interação entre os jovens e os séniores pedroguenses que residem em Lisboa, e cujo objetivo era recolher informação caracterizadora da identidade pedroguense, a qual depois de sistematizada seria compilada em documento escrito, mas, com conternação, conclui que não fomos contemplados. Fora da sede, a CPG promoveu em julho a primeira edição da sua colónia de férias “Diáspora Juvenil”, que levou a Pedrógão 16 jovens que criaram laços e afetos com a nossa terra e que por isso solicitam constantemente que se volte a realizar uma segunda edição este ano. A presidente considerou que esta foi uma atividade de mérito, que só foi possível com o envolvimento de toda a comunidade, e aconselha a quem quiser ter uma informação mais detalhada sobre todo este projeto a consultar a notícia, tipo relatório, publicada no jornal Ribeira de Pêra no passado mês de agosto, para perceber o âmbito da ação e o envolvimento da comunidade. Realça ainda o facto de ser uma colónia credenciada pelo Instituto Português da Juventude, que lhe confere, para além do reconhecimento da CPG como entidade promotora de colónia de férias, a divulgação de Pedrógão Grande no site do IPDJ.

A exposição de fotografias “O Grito da Natureza por uma Reflorestação Responsável” que inaugurou em versão pop up na galeria do atmosfera M em Lisboa e na integra na galeria atmosfera M no Porto, estará agora patente até ao dia 22 de abril no Centro de Interpretação Turística de Pedrógão Grande, pelo que a presidente aproveitou  o momento para convidar todos os presentes a visitarem a exposição que, na sua opinião, para além da arte espelhada na sensibilidade da fotógrafa Rita Patacas, secretária da CPG, visa a reflexão e estimulo da massa critica sobre a realidade retratada e o papel do humano neste renascer – é por isso, como diz, uma exposição interventiva.

Realçou ainda o trabalho de proximidade que foi iniciado com as associações locais em Pedrógão Grande, com a reunião realizada no salão dos bombeiros em 16 de junho de 2018 e que já voltou a acontecer no dia 10 de março no mesmo local. Estas reuniões, diz terem por principal objetivo aproximar e dar a conhecer a sociedade civil pedroguense, criar momento de partilha sobre os problemas do concelho no geral e em particular das localidades e âmbito das associações, ou seja visam auscultar as problemáticas e inventariar possíveis soluções, parcerias e agentes.

Por fim, dirigindo-se aos sócios, faz um apelo aos jovens pedroguenses que residem em Lisboa para virem para a casa, para usarem o espaço, realizarem eventos e criarem uma espécie de banco de tempo, de modo a que tenhamos condições para ter a porta aberta, evidenciando o facto de a rua estar cheia de turistas e por isso devermos aproveitar essa a situação para promover, mostrar e divulgar o nosso concelho, sendo para isso necessária a ajuda da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, a quem iremos dirigir o pedido de material de informação e divulgação.

O relatório e contas foram aprovados por unanimidade tendo merecido, ainda, um voto de louvor.

Para o ano de 2019, a presidente referiu que os propósitos se mantêm e as atividades irão, no geral, ter continuidade, com destaque para a II edição da Colónia da CPG “Diáspora Juvenil” que decorrerá de 14 a 21 de julho em Pedrógão Grande, e ainda, o objetivo de se começar a escrever a história da CPG, para o qual foi criado um grupo de trabalho.

 

Caldos de Cultura: Primeiro Encontro do Ciclo da CPG

Aconteceu na sede da Casa de Pedrógão Grande o primeiro encontro do ciclo Caldos de Cultura.

O encontro iniciou-se com a apresentação do livro dos seus associados Aires B. Henriques e Nuno Soares, intitulado “Maçons de Pedra e Cal – A Maçonaria ao Vale do Zêzere”. A apresentação esteve a cargo do Dr. Rui Pedrosa, membro da Direção da Liga Portuguesa dos Direitos Humanos, à qual também pertence a presidente da CPG Teresa Denis que começou por agradecer a sua disponibilidade para aceder ao repto, que muito honra a CPG.

O Dr. Rui Pedrosa salientou o valor histórico e bibliográfico da obra, da qual salientou alguns ilustres conhecidos e amigos do seu pai, tendo destacado o Roberto das Neves por lhe parecer ter sido alguém fora do seu tempo, com uma visão do mundo, do papel dos homens e do valor da comunicação ímpar para o seu tempo e mesmo para os tempos atuais onde muitos dos problemas se centram em deficiências de comunicação e entendimento da humanitude que subjaz ao ser humano.

A apresentação foi concluída pela presidente da CPG que considerou que o livro faz mais do que história, ele tem o mérito de desmistificar a maçonaria e o maçons.

Estes maçons do Vale do Zêzere foram pessoas de bem, comprometidas com a comunidade, com o bem comum, com a educação, com o ensino em Pedrógão Grande, o que curiosamente também foi preocupação da Casa de Pedrógão Grande, que instituiu o ensino noturno em P. G. na Escola dos Escalos do Meio. Por fim destacou, à semelhança do Dr. Rui Pedrosa, a figura de Roberto das Neves, com o extrato dum poema retirado do livro:

Nasceu em Pedrógão Grande,

E é cidadão do Universo,

Suas revoltas expande,

Nas asas largas do verso.

 

Os sofrimentos do povo

Combate-os – louco idealista! –

E visiona um mundo novo,

Em seus sonhos de anarquista.

 

Fica desta sessão a ideia de que Pedrógão e o mundo precisam de mais visionários como Roberto das Neves, figura de mérito e inspiração.

O segundo momento deste encontro trouxe o fado à CPG. O grupo de artistas residentes no “Cantinho da Amizade” honrou a nossa casa com a mestria que brota do dedilhar das suas violas e guitarras, e da genialidade das vozes e do sentir dos fadistas que nos proporcionaram momentos de evasão pelo fado cantado, sentido e bailado, que encheram, não só a sala, mas a alma e o coração de todos os presentes.

Bem-haja, queridos amigos das noites fadistas!

Comments are closed.

Scroll To Top