Candidaturas a “Trabalhar no Interior” abrem em Agosto

A iniciativa “Trabalhar no Interior” abre em Agosto a fase de candidaturas. Todos os interessados em viver em municípios constantes de lista anexa vão poder tentar conquistar o apoio de até 4.827 euros que o Governo português tem para atribuir, numa tentativa de reforçar a densidade populacional e económica nas regiões mais longe do mar.

O anúncio de que as candidaturas arrancariam em Agosto foi feito por Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, no dia 15 de Julho. «Na terça-feira, dia 28 de Julho, foi assinada a portaria do programa Trabalhar no Interior que estará disponível a partir de Agosto», afirmou.

A ministra esclareceu ainda que «qualquer pessoa poderá candidatar-se junto do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP)». O apoio começa nos 2.632,86 euros por candidato, podendo atingir os 4.827 euros com a comparticipação para o transporte de bens e a majoração para os elementos do agregado familiar.

Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, disse ainda que o incentivo vai ser atribuído ao longo de 36 meses, sob a forma de subvenção não reembolsável (a fundo perdido). Além disso, comparticipa a 100 por cento os custos diretos com os postos de trabalho criados (salários e contribuições para a Segurança Social a cargo do empregador), bem como um adicional de 40 por cento sobre esses mesmos custos.

Entre os concelhos abrangidos por este incentivo estão: Castanheira de Pera, Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Miranda do Corvo, Penela, Pampilhosa da Serra, Oleiros, Proença-a-Nova, Vila de Rei, Mação, Sertã, Góis, Lousã, Alvaiázere, Ansião,

 

 

Comments are closed.

Scroll To Top