Anacom exige aos CTT maior cobertura de serviços

A existência de um marco ou caixa de correio por cada 1.100 habitantes é uma das imposições do regulador.

A Anacom (Autoridade Nacional de Comunicações) exige aos CTT que disponibilizem um posto de correios em freguesias onde a população residente é superior a dez mil pessoas.

Os CTT apresentaram um compromisso menos exigente no âmbito da proposta de densidade da rede postal: a existência de apenas um estabelecimento postal nas freguesias com mais de 20 mil habitantes.

Numa nota divulgada esta segunda-feira, a Autoridade Nacional de Comunicações considera que a proposta apresentada pelos CTT é um progresso, mas ainda não é suficiente para assegurar o acesso das populações aos serviços postais.

“Relativamente aos marcos de correio, a Anacom também entendeu que a proposta dos CTT traduzia um retrocesso face àquilo que existe actualmente e que já nos coloca abaixo da média europeia”, disse a assessora de comunicação, Ilda Matos à Renascença.

A Anacom quer que os CTT disponibilizem um marco ou caixa de correio por cada 1.100 habitantes.

Nos casos em que as populações estejam a uma distância superior a dez quilómetro do estabelecimento postal, a Anacom exige aos CTT que garantam a venda de selos e envelopes pré-franqueados por parte de carteiros e que estes possam aceitar correio normal e correio registado, procedendo ao pagamento de vales postais ao domicílio.

O projecto da Anacom vai agora ser submetido a audiência prévia dos CTT e audição dos utilizadores, que se podem pronunciar até ao dia 28 de Julho.

Comments are closed.

Scroll To Top