ALJIA – Plano de Gestão Integrada da Ribeira de Alge: Apresentação Pública e Celebração de Protocolo no dia 26

7aljia1

O Município de Figueiró dos Vinhos, numa parceria com a Universidade de Aveiro, a Universidade de Évora, a Escola Superior Agrária de Coimbra e o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, está a promover o ALJIA – Plano de Gestão Integrada da Ribeira de Alge, com vista ao Desenvolvimento Territorial Sustentável de Figueiró dos Vinhos.

O ALJIA – Plano de Gestão Integrada da Ribeira de Alge assentará na recolha de dados de base com vista à caracterização e diagnóstico do estado de conservação da bacia hidrográfica da Ribeira de Alge, na avaliação das valências ecológicas e económicas da Ribeira de Alge e área envolvente e na potenciação e promoção da valorização ecológica, cultural, social e económica (agrícola, florestal e turística) desta linha de água que constitui a “coluna vertebral” do concelho de Figueiró dos Vinhos.

O ALJIA – Plano de Gestão Integrada da Ribeira de Alge prevê ainda um Centro de Recuperação de Ecossistemas Ribeirinhos (CRER), Projeto-Piloto com efeito replicador de técnicas e metodologias de gestão e conservação de recursos naturais ribeirinhos, a implementação de boas práticas de gestão e manutenção de galerias ripícolas e dos recursos piscícolas em toda a região da Serra da Lousã, e tem a duração de três anos, automaticamente renováveis por iguais períodos, salvo denúncia por qualquer das

Partes,com a antecedência mínima de três meses, e sem prejuízo da conclusão de quaisquer atívidades em curso.

Por este protocolo a Câmara Municipal de Figueiró dos Vinhos obriga-se a ceder as instalações do Posto Aquícola de Campelo, com a salvaguarda do desenvolvimento do Projeto “Ecotone – Gestão de Habitats Ripícolas para a Conservação de Invertebrados Ameaçados”, bem como a fazer a ligação entre as Partes,

liderar os processos de candidatura aos fundos comunitários e assegurar as condições logísticas para a implementação.

Por sua vez, o ICNF contribui com know-how para a implementação do objeto do Protocolo e na formação de quadros especializados em gestão de recursos naturais, nomeadamente piscícolas.

Quanto à Universidade de Aveiro tem a seu cargo a coordenação científica geral, dando o seu contributo e suporte científico para a gestão dos ecossistemas ribeirinhos, nomeadamente das galerias ripícolas e áreas envolventes, na área da fauna e flora.

A Universidade de Évora vai fazer a coordenação científica de todos os projetos e subprojectos que envolvam a conservação e gestão dos recursos piscícolas, dando também o seu contributo e suporte científico para a gestão dos recursos piscícolas da Ribeira de Alge e do futuro CRER.

Já o Instituto Politécnico de Coimbra – Escola Superior Agrária de Coimbra (IPC-ESAC) fica com a coordenação científica de todos os projetos e subprojetos que envolvam o controlo de espécies exóticas invasoras na Ribeira de Alge e área envolvente e projetos e subprojetos que envolvam a área agrícola e

Florestal, dando o seu contributo e suporte científico para a gestão das áreas afetadas por Acacia sp. e outras espécies invasoras.

A coordenação científica geral será assegurada pelo Professor Doutor Carlos Manuel Martins Santos Fonseca, da Universidade de Aveiro, sendo a coordenação operacional assegurada pelo Engº Gonçalo André Dinis Brás, da Câmara Municipal de Figueiró dos Vinhos.

A Apresentação Pública do ALJIA – Plano de Gestão Integrada da Ribeira de Alge e Celebração do Protocolo de Colaboração Institucional entre as entidades parceiras irá decorrer no dia 26 de Junho de 2015, às 14h30, na Casa da Cultura – Clube Figueiroense, e contará com a presença da Ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas.

 

Comments are closed.

Scroll To Top