A Lenda de São Martinho

 

 São Martinho foi um cavaleiro, um monge e um santo. É capaz de trazer o verão ao outono e, graças a ele, todos os anos comemos castanhas. Descobre a história por trás do Dia de São Martinho, que se celebra a 11 de Novembro

 

Corria o ano de 337, no século IV, e um outono duro e frio assolava a Europa. Reza a lenda que um cavaleiro gaulês, chamado Martinho, tentava regressar a casa quando encontrou a meio do caminho, durante uma tempestade, um mendigo que lhe pediu uma esmola. O cavaleiro, que não tinha mais nada consigo, retirou das costas o manto que o aquecia, cortou-o ao meio com a espada, e deu-o ao mendigo. Nesse momento, a tempestade desapareceu e um sol radioso começou a brilhar.

 

O milagre ficou conhecido como «o verão de São Martinho». Desde então, por altura de novembro, o ríspido tempo de outono vai embora e o sol ilumina-se no céu, como aconteceu quando o cavaleiro ofereceu o manto ao mendigo.

 

É por causa desta lenda que, todos os anos, festejamos o Dia de São Martinho a 11 de novembro. O famoso cavaleiro da história era um militar do exército romano que abandonou a guerra para se tornar num monge católico e fazer o bem.

 

São Martinho foi um dos principais religiosos a espalhar a fé cristã na Gália (a atual França) e tornou-se num dos santos mais populares da Europa! Diz-se que protege os alfaiates, os soldados e cavaleiros, os pedintes e os produtores de vinho.

 

Foi a 11 de novembro que São Martinho foi sepultado na cidade francesa de Tours, a sua terra natal e é por esse motivo que a data foi a escolhida para celebrar o Dia de São Martinho. Além de Portugal, também outros países festejam este dia. Em França e Itália, à semelhança de Portugal, comem-se castanhas assadas. Já em Espanha, faz-se a matança de um porco, e na Alemanha acendem-se fogueiras e organizam-se procissões.

 

Porque comemos castanhas no São Martinho?

 

 

Assar numa fogueira e comer castanhas quentinhas… Chegou o São Martinho e é tempo de festejar! Mas… porque celebramos assim o São Martinho? Contamos-te tudo

 

«No dia de São Martinho, pão, castanhas e vinho!», assim reza o provérbio popular. A tradição manda que, em tempo de São Martinho, se façam magustos (festas onde se assam castanhas).

 

O São Martinho festeja-se numa época do ano marcada pela colheita da castanha (feita durante os meses de outubro, novembro e dezembro) e por isso, é natural que ela seja convidada para fazer parte da festa!

 

Mas há histórias que contam que a origem dos magustos até está no Dia de Todos os Santos, 1 de novembro. Diz-se que se terá começado por preparar mesas com castanhas por altura de novembro para que os espíritos dos mortos da família aparecessem e as pudessem comer!

 

Mas nem só de castanhas se faz a tradição do São Martinho, a 11 de novembro. Num magusto a sério, deve acender-se uma fogueira e, no caso dos mais crescidos, beber jeropiga e o vinho de São Martinho (o vinho das novas colheitas, depois das vindimas, em setembro e em outubro).

 

E o que sabes sobre as castanhas?

 

A árvore de onde vem a castanha é o castanheiro. Quando nasce, a castanha está protegida por uma «capa» cheia de picos: o chamado ouriço da castanha. Quando chega o outono, o ouriço abre-se e a castanha cai, podendo ser apanhada.

 

A castanha é um alimento consumido desde a pré-História. Durante muito tempo, antes da batata se espalhar pelo mundo, era a base da alimentação – o que não é de estranhar, porque a castanha é quase uma super heroína!

 

É uma excelente fonte de energia, rica em vitaminas C e B6 (que ajudam a combater muitas doenças) e em minerais como o potássio, o fósforo e o magnésio (que fortalecem os ossos e os músculos). É também uma ótima fonte de fibra alimentar (que regula os intestinos) e ainda tem um baixo teor de gordura.

 

Diz-se que são boas assadas e quentinhas, mas há muitas outras maneiras de comer castanhas: cozidas, em puré, numa sopa, em sobremesas doces… É só inspirares-te e usares a criatividade para fazer pratos originais!.

Comments are closed.

Scroll To Top